Semana do leitor

O dia do leitor foi no dia 7/01 e na semana do leitor fizemos uma visita especial.
Foi uma visita dupla – fomos nos dois hospitais que atendemos.
Logo… as crianças internadas no ITACI – Instituto de Tratamento do Câncer Infantil e no ICr começaram o ano recebendo livros, o melhor incentivo para a formação de novos leitores. 📚
Nossa tarefa foi facilitada pelo constante apoio da escritora Cristina Agostinho e seu “Nicholas e os Vingadores”.
Além de se identificarem e se divertirem com a história do pequeno super herói, as crianças também foram presenteadas com o kit do mês: tela e canetinhas.
(Visitas realizadas pela Maria Ignez e Mariana)

Romero Brito: visita de julho

visita-julho-2016

Visita de julho ao Instituto da Criança do Hospital das Clínicas, relato da voluntária REGINA:

A visita foi ótima !!!!
Fernanda e eu Regina encontramos as crianças bem dispostas e os mais velhos conheciam Romero Brito
Contamos que ele é brasileiro , mas mora nos USA e que suas obras são conhecidas no mundo todo
Ensinamos as crianças a fazerem uma releitura da obra de Romero e mostramos que suas obras são chamadas de “obra da cura ” por causa da energia positiva que as cores transmitem.

 

 

Visitas de maio/2016: guarda-chuva ou sombrinha?

Mais uma visita ao ITACI – Instituto de Tratamento do Câncer Infantil.
Fernanda ,Tati( voltando agora de uma licença maternidade) Agnes ( candidata ao voluntariado) e eu, Maria Ignez chegamos ao hospital por volta das 14 horas.
Nossa proposta foi falar sobre a água , a diferença da sombrinha e do guarda chuva e a utilização do mesmo na dança regional do Recife o Frevo.
As crianças gostaram muito quando ao abrirmos as sombrinhas caíram as fitas com “parlendas” grampeadas nas pontas .
Foram distribuídos 3 tipos de kits : para os bebês, fantoches; para os menores, folhas sulfite, 1 caixa de cola plástica e massinha; para os maiores, papéis sulfite , canetinha e régua mágica.
Foi uma tarde maravilhosa e abaixo coloco 2 desenhos feito pelas crianças relacionados ao tema.
E coloco também fotos de um trabalho feito por um menino de 6 anos. Era um menino muito receptivo ,esperto e que nos mostrou seus trabalhos (duas pinturas de guarda-chuva e sombrinha, o Circo feito com copinhos plásticos e tiras de papel colorido e a nave espacial feita com um rolo de esparadrapo vazio).
Torno a dizer uma tarde maravilhosa e gratificante.

visita-maio-2016-2visita-maio-2016-3visita-maio-2016visita-maio-2016-1

 

 

Em maio também fizemos a visita no ICR – Instituto da Criança.
Fomos e 3 voluntárias Regina . Harly e eu, Maria Ignez.
Lá como são enfermarias o que dificulta o trabalho com atividades.
Para as crianças levamos: um livro para colorir com uma caixa de lápis de cor e uma caixa de massinha.
Para os bebês, que são muitos, Fantoches!
Conversamos,brincamos e saímos de lá muito felizes.
Do sexto andar fomos para o refeitório onde acontecia uma festa para as mães, muito animada e concorrida.
Um conjunto de chorinho animou o lanche da tarde,
Foi organizado pelo comitê comunitário e Humanização e foi linda!!!
Parabéns aos voluntários que colaboraram.

visita-maio-2016-icr

Como dar a notícia de câncer a uma criança

Vejam que interessante a notícia que encontramos sobre como dar a notícia e lidar com a criança que está com câncer. Com certeza, um momento delicado para todos os familiares envolvidos mas que consiste em momento essencial para que a criança possa entender e lidar da melhor forma com o que esta acontecendo com ela.

As dicas são do oncologista Vicente Odone, que ressalta a importância de não mentir para a criança nesse momento e fazer com que ela se sinta acolhida e parte do processo de tratamento para melhor aceitar as intervenções.

Veja a reportagem em:

http://noticias.r7.com/saude/eu-vou-morrer-medico-explica-como-dar-a-noticia-e-lidar-com-a-crianca-que-esta-com-cancer-31082015

 

Nos acompanhe também em nossa fanpage.

Equipe Mala de Artes

Relato de visita: a surpresa do elefante

Na visita em que fizemos em janeiro, uma situação tinha sido muito marcante. Uma criança nos pediu pra ver um elefante. Não bastava uma imagem pelo celular ou um elefante numa história infantil. Ela queria VER um. Saímos de lá um pouco frustrados porque não conseguimos realizar essa vontade tão singela e tão lindamente infantil.

Mas olho de criança na verdade vem lá do coração. E essa foi a surpresa incrível que tivemos ao voltar. O coração dela VIU um elefante, e VIU com textura, com cheiro, com som, com sabor.

E ela FEZ o elefante que ela viu com o coração. Ele era grande, cinza, tinha a pele bem grossa, cheirava framboesa, fazia barulho com seus passos e respirações e tinha gosto de sorvete de abacaxi. Ah, e carregava corações pra entregar pras crianças que encontrava.

Preciso dizer mais?